FANDOM


Umas das obras mais controversas de todos os tempos, sem dúvida seria Pais e Filhos do Russo Ivan Turguêniev, (1818-1883)

O romance se passa em 1859, em meio aos conflitos de terra entre os senhores e os seus servos, que acabam por receber o direito de seu terreno imposto por uma ordem do Czar. As desavenças sociais seria apenas um dos temas, mas algo que adquire destaque certamente é o personagem Niilista de Bazarov. Seguindo as características russas, o niilista é aquela pessoa que despreza as emoções e sentimentos, em detrimento de um embasamento científico e contestador.mas que durante o romance é caracterizado por um naturista amador.

Em meio à dilemas políticos, existe também o dilema do choque de pensamentos, entre os senhores, com a sua postura autoritária e aristocrática e uma juventude que quer se expressar e impor sua postura perante um quadro de instabilidade social. Mesmo sem saber ao certo o que defender ou apresentando alguma proposta de melhora, os jovens buscam serem notados e a acreditar em suas convicções, indo contra um comportamento pré-estabelecido pela sociedade.

Os protagonistas se encaixam no cerco de: um ser aficionado pelo amigo, aqui no caso de Bazarov, com a sua verborragia de conhecimentos e fundamentos científicos, características de um pequeno burguês que busca seu espaço dentre a aristocracia, vista aqui por seu amigo Arkádi, filho de aristocratas e que convida seu amigo para passar as férias na casa de seus pais.

O conflito de gerações já está em cena. O pai com a sua postura de senhor e com a responsabilidade de zelar pelos seus empregados, e um estranho que chega e começa a contestar todo o seu modo de vida. O choque e o romance, aqui gerando um desenlace um tanto quanto curioso.

Vale ressaltar que o livro em si não apresenta grandes rodeios, é tranqüilo no caráter de acontecimentos, e é exatamente o discurso que atrai, e também pelo já dito conflito entre gerações, algo que ,para a época foi um marco, tanto pela sua linguagem direta, que contribuiu para o acesso e levado ao maior número de pessoas, e acirrando ainda mais as questões abordadas pelo livro. Turguêniev foi até responsabilizado por inúmeros incidentes ocorridos durante a época, mais um caso que contribuiu para a propaganda da obra.

Além de todos os conflitos e todos os problemas, o livro é capaz de gerar um desconforto pelo comportamento de Bazarov, que seria considerado desrespeitoso e até mesmo um tanto quanto espaçoso, visto o trato que ele demonstra com seus anfitriões, e sua busca por um conhecimento natural que, de uma forma ambígua, ele utiliza para agraciar as senhoras, algo que seria uma afronta aos seus conceitos.

È também a postura de seu amigo, Arkadi, que acaba por se deixar envolver pelo discurso hipinotizante de Bazarov e a da complacência de Arkadi perante conceitos que ele mesmo acreditava e acaba por deixar-se levar pelo companheiro.

Obra indispensável para quem gosta da literatura russa

Refrator | Literatura